©

Difícil é manter a calma enquanto despindo a alma me livro dos vícios.

E ninguém dirá que é tarde demais, que é tão diferente assim, do nosso amor a gente é que sabe, pequena…

Nada mais idiota do que o som que você faz tentando cantarolar músicas que não conhece. Nada tão querido quanto ouvir você cantarolando esses sons meu bem.

A infinitude do meu bem querer

Amar é uma mania, minha mania.

Daquelas que não precisam de explicação.

É esse o meu transtorno obsessivo compulsivo, eu amo.

A cada esquina, a cada ônibus, a cada sorriso bonito rasgando o tédio.

Eu amo olhar pra alguém e imaginar o cheiro, abraço, gosto.

Amo deitar e infindáveis vezes quis repetir a beleza de deitar no abraço alheio.

Percebi que diferente do que me disseram um dia, amar tanto não é falta de amor próprio, é o transbordar desse amor que não pode limitar-se a viver contido apenas em mim.

Amar verbo transitivo direto que exige de mim amar algo todos os dias, sem me preocupar com o adjunto adverbial… 

Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.
O Pequeno Príncipe.   (via inverbos)

Filho de um cafetão! kkkk Que não aconteça nunca, amém.